//Os pins renovarão seu armário

Os pins renovarão seu armário

Depois da febre dos patches, disseminada principalmente pela Gucci, o novo elemento de styling com cara de “feito em casa” são os bottons, que foram febre no fim dos anos 90 e começo dos 2000 e são símbolo de movimentos como o rock’n roll. Mas a história dos pins (sim, eles têm vários nomes), vem de muito antes da chamada tendência decorativa. 

Eles surgiram como propaganda de empresas e se tornaram uma ferramenta eficiente para políticos nos Estados Unidos. O primeiro candidato a usar os pins com destaque foi George Washinton, em sua posse no ano de 1879. Já em 1824, John Quincy Adams e Andrew Jackson usaram os bottons em suas campanhas, tornando a peça em um acessório desejado por seus eleitores. 

A entrada para o mundo rock se deu nos anos 70, quando as bandas viram no acessório uma possibilidade de se aproximar de seus fãs, ganhar um lucro extra (o que se tornou muito importante para os iniciantes, que ganhavam pouco por seu trabalho) e uma maneira eficiente de divulgar seus discos, shows e turnês atuais. Muitas dessas peças são consideradas relíquias e vendidas a peso de ouro de brechós pelo mundo. 

De volta a 2017, a Topshop Unique apostou neles em seu desfile até mesmo com alfaiataria, nos looks de sua coleção inverno 2018, apresentado há pouco tempo em Londres. Depois da forte moda dos patches, que hoje figuram em várias peças, de jaquetas bomber a camisetas e calças, eles prometem ser objetos de desejo entre os fashionistas e estão ganhando seu espaço até mesmo no comércio popular. 

As peças são ótimas para quem quer customizar o look com pouco trabalho e ter um efeito divertido. São diversos formatos, com propostas diferentes e para vários estilos. Podem ser usados desde sozinhos, até combinações com vários. Tudo depende do seu estilo. 

De |2017-07-25T10:43:47+00:00julho 25th, 2017|Não categorizado|0 Comentários

Sobre o autor:

maisa

Deixe um Comentário